terça-feira, 20 de outubro de 2009

Não tenha medo de amar

Todos os dias da minha vida eu sou julgada. Julgada por um motivo, um sentimento que não deveria nunca ter sido esquecido, generalizado ou até mesmo sido transformado em sofrimento. Desde pequena que carrego dentro de mim a sensação de que sou diferente desse mundo neste século. É como se eu tivesse nascido atrasada. Às vezes nada parece se encaixar, nada parece aceitável. Fico imaginando todas as pessoas a minha volta como simples futilidades. A imaturidade se tornou constante. Ninguém parece querer crescer em um mundo onde os relacionamentos e os sentimentos foram taxados como acontecimentos apenas da vida de nossos pais. E o amor foi banalizado, virou motivo de chacota, vergonha. Alguns dizem até que o amor não existe ou que todos que amam perdem suas identidades e vivem em um mundo da lua. Infelizmente todos que aderiram a essa moda nunca conseguirão ter uma vida completamente feliz regada de verdades e sinceridades.
O amor não é algo que só existe entre um homem e uma mulher. Jamais deveriam ter deixado esse valor maior se apagar do coração da maioria da sociedade. Corações de pedra não são e nunca serão capazes de enxergar do que o mundo e as pessoas precisam para que tudo se torne a paz que muitos buscam e não encontram. Paz mundial é nada mais nada menos do que o resultado do que o amor constrói. O amor pode concertar qualquer estrago. Amor não é e nem nunca será sinônimo de sofrimento. O contrário do amor é a falta de respeito, de consideração, é incompreensão e principalmente a indiferença. Nem mesmo o ódio é capaz de fugir do amor. Ambos andam juntos, de mãos dadas, onde existe amor, existe ódio. São sentimentos de um mesmo valor que só nascem a partir um do outro, ou seja, só podem também morrer juntos, um vai estar onde o outro estiver.
Quem tem medo de amar é covarde. Pensam que amando, se apaixonando, vão estar vulneráveis para que uma hora a decepção chegue e faça do amor um motivo de angústia. Muitos perdem a mágica do amor por medo de terem seus corações quebrados. Amor de verdade é aquele que completa e concerta tudo, não importa o que aconteça, não importa os obstáculos, as pedras no caminho... Onde existe amor, existe vitória. Só é amor de verdade àquele que passa por aprovações e mesmo assim continua firme, crescendo cada dia mais no coração dos amantes.
A pessoa que abre mão do amor por medo de sofrer e vai viver outras coisas achando que isso preencherá o vazio do peito está enganado. Sempre chega para todas essas pessoas um momento em que elas não sabem nem mais o que querem. Dentro delas tudo vira motivo de guerra, dúvida, falta de personalidade, competição, disputa... Não adianta querer fugir. Onde quer que você esteja à falta do amor irá te perseguir e te fazer perceber que a guerra que você enfrenta é contra você mesmo, contra os próprios enganos, orgulhos e teimosias. E dessa forma não importa o que se ganhe no caminho pela vida, tudo terminará sempre com a sensação de que lhe falta algo... O amor!

2 comentários:

Carolzinha_ disse...

Nossa, tocante seu texto :)
Novamente me identifiquei.E concordo quando diz que hoje em dia o amor não é tão valorizado quanto devia.
Mas não podemos de deixar acreditar que ele existe siiim =D

É exatamente isso que falta na minha vida.AMOR.!


beeijinhos carinhoso ;)

Adrielly Soares disse...

Bom, você disse que amor não eé sinonimo de sofrimento e coisa e tal, eu discordo. O amor é que nem ser mãe, é padecer no paraíso, é sofrer de saudade, de brigar por amor, de enfrentar obstáculos. Mas amor é totalmente compensatório, porque um abraço da pessoa que se ama vale mais que qualquer coisa, ficar alí naquele minuto que as vezes nem dura mesmo um minuto, é como flutuar, é como passear no céu. Amor sem sofrimento é utopia.

All we need is love.

;*