domingo, 8 de novembro de 2009

Homenagem a Nélio Horta

O primeiro e único homem que dedicou e cantou uma música para mim, também já se foi. Assim como todos os amores que tive e perdi, nisso ele não foi diferente. Mas esse homem era especial. A passagem dele pelo mundo marcou a vida de todos que tiveram o privilégio de conhecê-lo. Ele era de uma personalidade incrível, um caráter único e íntegro. Sua vida foi simplesmente doada a todos que fizeram dele um amigo. Seu lindo coração mais sua paixão pela arte e música deram a ele a importantíssima oportunidade de mudar a vida de muitos e ensinar só coisas boas, desde um sentimento a um ofício, a outros. A família fez dele a alegria, o pai, o artista e o melhor amigo de todos.
A recordação que tenho dele é a melhor possível. O som de sua risada é a música que ele deixou pra mim como trilha sonora de si próprio. Queria eu poder ter tido mais chances de resgatar dele mais histórias e experiências boas, mas tudo o que já tenho guardado dele, mais tudo que os outros a minha volta também guardam, fazem dele uma pessoa eternamente presente entre nós. A idéia de perdê-lo de nosso convívio nesse mundo parece não ser real, e agora entendo o por que. Ele deixou um pouco de si com cada um de nós. Nossos corações estão regados de amor e paz que ele nos deu dele e nos ensinou a ter como ele. Todos devemos ficar confortados, pois agora sabemos que a vida dele não foi em vão. Ele brilhou, em palcos, corações e agora recordações. Ele era exemplo e cumpriu sua missão. Um dia ainda nos encontraremos e cobrarei mais uma nova canção. Eu não poderia ter ganhado homenagem mais bela do que meu próprio tio que foi um grande homem vivido que sabia amar e ser amado sem medo.
Tio Nélio, você nos deu muito mais do que perdemos quando você se foi. Jamais deixaremos de saber que você esta conosco hoje e sempre. Continue sorrindo, amando e brilhando onde quer que você esteja.
Te amo!
Te amamos!
Até mais...
As cortinas não irão fechar nunca, o fim não existe para o seu teatro.

6 comentários:

Diego disse...

Sem mais...
Valeuuuu Nélio!!!

Carol (L) disse...

Texto bonito e expressando exatamente aquilo que sente :)



Beeijos !

Simplesmente Outono disse...

Relativamente, o todo e o tudo...
É fato de que não há nada de bom para ser lembrado e/ou guardado no que foi supostamente vivido em sua plenitude.
Todavia, fica arduamente estabelecido que:
Esta briga do esquecer completamente não cessa nunca.
Este incômodo nato e cansativo é tão inquietante quanto à peleja.
É notório o quão foi efêmera esta cumplicidade.
Quanto ao título? Certamente uma totalidade que nunca existiu.
Moral dessa história: É um não querer lembrar sabendo quase que aos gritos que jamais será esquecido.
Texto que acabo de postar em minha estação. Te vejo por lá. Com carinho minhas folhas secas pra ti.

Simplesmente Outono disse...

Procuro por alguma leitura. Não sei exatamente o que virá pela frente. Talvez algo que remeta ao amor, filhos, decepções, amigos, dores, sorrisos, verdades, enfim quero linhas que me prendam.
Ainda bem que existem páginas como a sua que nos levam até o final sem sequer sentirmos. O melhor é ainda permanecer na ânsia de querer ler mais e mais. Obrigada pelo tamanho bem estar causado e lindamente sentido ao te ler.
Minhas folhas secas na certeza de que voltarei mais vezes. Linkarei para que assim fique mais fácil o meu retorno.

Simplesmente Outono disse...

Consegui postar hoje de madrugada em meio à correria das provas. Confesso que não gosto quando sou praticamente obrigada a me afastar do blog, porém não há como fugir disso. Motivo: além das provas na faculdade existem alguns probleminhas particulares. Espero resolvê-lo o quanto antes e da melhor maneira possível. Tentarei arrumar um jeitinho de postar com a mesma freqüência. Algumas pessoas possuem meu e-mail podendo ficar totalmente à vontade em realizar contato.
Com carinho e o devido respeito deste Outono.

Carolzinha ♥ disse...

aaaah, só pra falar que ameeeeei o layout novo :D



beeeijos& e saudades dos teus textos \o/