quarta-feira, 26 de setembro de 2012

Aprenda com a criação

                                                                                 
            O cheiro da chuva, o cheiro da madrugada, do amanhecer, da mata, do mar, da terra molhada... Não sei vocês, mas eu se pudesse, passaria horas pela janela, sentindo ao fechar os olhos, vivendo sem o toque. O ouvir e o exalar, muitas vezes causam mais sensações do que todos os sentidos juntos. Assim como sentimos a brisa sem vê-la, também podemos experimentar a doçura de essências naturais, tão abandonadas, ou até generalizadas. Todo dia é dia. De presenciar com a mesma paixão da primeira vez. Todo dia é dia. De valorizar com a mesma admiração da segunda vez. Todo é dia. De desfrutrar com o mesmo fulgor da terceira vez. Quanto mais se tem do que se gosta, mais se quer, até que chega um ponto onde a repetição cria resistência em alguns corações, ou na falta deles. Perder o brilho só porque parece rotineiro não me parece coisa de quem realmente aprecia, sabe sentir, sabe amar. Quem tem coração, coração de verdade, e não pedra ocupando espaço, quem tem, realmente guarda o que se bem quer. Assim como espetáculos da natureza são esquecidos e desapreciados dia após dia, as pessoas também perdem seu valores, andam como latas que depois de um tempo, com alguns arranhões, amassos e perdas, são largadas, esquecidas, chutadas, consideradas lixo. Isso é engano. Engano de quem não sabe amar. Engano de quem não sabe ser amado. Engano de quem vive prosmicuidades acreditando que isso é vida, liberdade e modernidade. Desde quando os padrões de um século fazem pessoas melhores, corações puros, relacionamentos eternos, paixões e admirações que não se perdem com o tempo? Valores deturpados, sensações sendo chamadas de sentimentos, e desejo fútil sendo chamado de amor. Por acaso alguém tem mesmo certeza de que essa banalização é fórmula de sucesso? Quem tampouco se rende aos próprios sentidos e as ardências naturais de um puro coração que clama, tampouco alcançará plenitude em outros tetos, olhares e braços. Quem tampouco sabe de si, tampouco saberá de outro. Um outro tanto quanto igual, incompleto e em destroços, jamais completará, serão apenas 1 + 1 que resultará em ainda menos que 1. Só há complemento, em si mesmo, por dependência de um Pai lá do alto. E só há acréscimo, entre um e outro que já são completos por si mesmos. Enquanto ainda está difícil entender ou se encontrar, vá na janela. Sinta. Insista. Se delicie com o que ainda é puro, exale, aprenda com a criação, apegue-se no que não se desfaz, inspire-se no que é constante. A formosura de toda uma natureza, tão singela, e sempre tão mais vasta que qualquer coração, é capaz de nos ensinar, nos reeducar e nos fazer voltar-nos a uma origem de completa liberdade através do Único Ser perfeito. Vá! Saia da zona de conforto, se jogue! O amanhã é incerto, ninguém nasceu pra ser lata rolando morro abaixo, nascemos todos para sermos vasos de honra, sempre intactos e prontos a receber mais de tudo aquilo que alimenta e revigora. Assim como a chuva te espera para uma dança única, uma vida plena também te espera para tudo o que será único, e não mais passageiro, mas eterno e pleno. O que passa, é apenas nós, o que fica, é o que nos aguarda!

quarta-feira, 22 de agosto de 2012

Simples ternuras



Sabe aquela sensação de cuidado e proteção? Pois é, tá me fazendo falta. E como eu gostaria que não estivesse. Lembrei-me de pequenas gentilezas, mas que fazem total diferença, e acabei desejando ter, mesmo querendo desejar não ter.
Singelas atitudes comovem um coração. Como um sorriso companheiro, que transmite cumplicidade. Um abrir de porta no carro, que faz lembrar que o cavalheirismo ainda existe em alguns. A simplicidade de abrir caminhos para a dama ir à frente, gera conforto. Um caminhar de mãos dadas, que remete a doçura e importância que se rende ao outro. A cumplicidade de um cuidado viril em meio a uma multidão, ou uma fila, ou qualquer outro ambiente que requer amparo. Um beijo na testa, que é pura ternura. Um abraço dado com a alma e verdadeira entrega, é uma sensibilidade sem tamanho. Tantas nobrezas fáceis de serem cumpridas, e a humanidade continua desvalorizando um pouco do que faz muito por dentro, um calor no coração que se tornaria exceção. Ainda assim, continuo tentando me adequar a essa necessidade de me virar sozinha sem uma mãozinha mais firme que a minha. Enquanto não for tempo de estar com esse abrigo, me mantenho na espera e expectativa. Entre voltas e meias, vou me virando e tentando não notar a ausência daquele que ainda virá!  

#EsperePeloMelhorDeDeus

domingo, 19 de agosto de 2012

Atendendo ao chamado

       Andei me perdendo, pelas horas, pelos raios de luzes, entre estrelas e sol, ando vagueando por dentro, relembrando doçuras que me embalavam, expressões que me gastavam até bater a sensação de que tudo estaria ao menos ao alcance da compreensão alheia. O autor lá de cima resolveu me envolver, me chamou para o criar e recriar, me lambuzou de sonhos, e até se dispôs a puxar minha orelha se necessário fosse, para que eu me atentasse novamente para o que foi sendo esmagado pelo caminho a frente. Ele me enviou pré-destinada a ser sempre esse vulcão eruptivo de sonhos, com vapor ou sem vapor, uma tonelada deles eram amontoados dia após dia, e esse plano não tem limitação, apenas determinação. O propósito de se tornar real necessita da contínua erupção, sonhos, sonhos, sonhos, uma máquina de sonhos, é gratuito, é bom, é fácil, é doce e se torna possível a medida em que se crê. O fundamento é fazer nasce-los, não para serem abandonados e esquecidos, mas para serem acariciados e alimentados. Tô aprendendo a esquecer, esquecer dos impedimentos, e tô aprendendo a lembrar, lembrar das expectativas. O que se pensa, logo se torna um adubo, portanto, em terra fértil deve-se plantar e regar, fé, foco, esperança e paciência. Não desistir, as vezes se torna mais importante do que esperar. O que é bom se usa para o bem, o que é eficiente se usa para favorecer. Nunca 'eu', sempre 'eles'. Plural, não só é mais, como também é melhor. Tudo o que remete ao próximo, indiretamente também faz jus a si. Bom, mas isso é pano pra outra manga já. O fato é que irremediavelmente eu tenho sido chamada para um novo envolvimento, ou melhor, para um envolvimento novo com o velho. Um sonho, não velho, mas apenas meio largado, que constantemente tocava a campainha da minha consciência pedindo lembrança e arrego. Eu resistia, sem motivo, sem entendimento, resistia apenas, por talvez não saber como trabalhar, não saber como voltar. Antes tarde do que nunca, afinal, presente é presente, não se devolve. O importante é fazer bom uso, para o bem, para a verdade. Não importa como, quando, ou até onde. Importa que haja renovo para que o dom continue fluindo, e não somente isto, mas principalmente, desenvolvendo. Eis que percebo, sem um pingo de verdadeira percepção, bastou um 'psiu', e já estou imersa em palavras, amigas estas que sempre me perseguiam de uma maneira ou outra. Tentei inconscientemente desvaloriza-las por um tempo, mas tempo que é tempo mesmo acaba sempre causando reviravolta em nós, comigo não seria diferente, os variados momentos que enfrentamos são respeitados, para crescimento ou perda dele, mas tudo se torna necessário enquanto o tal tempo é usado para que aqui dentro algo nasça, renasça, brote ou amadureça. O que interessa é que não se esvaiu, e que seja eterno, é para o que torço! 

quinta-feira, 16 de agosto de 2012

Em meio a essas madrugadas...


            
       Em meio a essas madrugadas de sonhos e orações, lágrimas caem, sorrisos brotam. Só Deus sabe o quanto me desfaço enquanto meus devaneios se revelam. Já cheguei a pensar que sou mais feita de fantasias do que realidades. A pura verdade é que o sentimentalismo sempre bateu um bolão por aqui, enquanto a racionalidade até se retirou de campo após cansar de bater na trave. Sou do tipo que se emociona com detalhes, viaja em particularidades e desaprova normalidades. Sabe essas histórias sem tempero ou sem mel? Não me conquistam. Prefiro acreditar que filmes hollywoodianos nascem de fatos reais, sendo assim, há possibilidade de amores tempestivos fora da tela. E por favor, não se prenda a tempestade, mas ao amor. Tem que haver choque, paixão, conquista, evidência, magia, realizações, surpresas, exceção. Ou faz a diferença, ou faz a diferença. São tantas as ideias e desejos que eu inclusive me permiti ter um momento de questionamentos com Deus. Sei bem que cada um é cada um, da forma exata como Ele quis, desde que estejamos obviamente sob sua direção. Aceitando-O como principal e único diretor capaz de coordenar o filme da minha vida, aguardo ansiosamente por suas surpresas. Qual fundamento teriam os sonhos se não houvessem chances de serem realizados? A irrealidade nasce, para que a realidade nos surpreenda. Campos, mares, flores, sol, chuva, montanhas, nuvens, encontros e desencontros. Cada mínimo acontecimento, gira em torno de um mesmo final feliz. Tudo coopera para a construção da verdadeira história escrita pelos dedos de um Pai. Pai este que não frustra, mas sim, abençoa. Eis que por aí afora caminha uma alma, sendo refeita, capacitada e preenchida de tudo aquilo que a tornará gêmea de uma outra também em processo de espera e expectativa. Os sonhos brotam, e Deus continua sussurrando: Não desista! Deixe-me te surpreender. Será especial…

#EsperePeloMelhorDeDeus

segunda-feira, 12 de março de 2012

Livre da cadeia de corações dilacerados

É ao olhar para trás que percebo quão vã meus relacionamentos conseguiam ser, eu fugia da promiscuidade, de tudo que era banal, tentava me enquadrar nos padrões do século, mas, sem permitir que minha vida também virasse característica de solidão, afinal, por mais que se diga que estar solteira é por opção isso não torna a teoria à verdadeira prática. Bem no fundo, todos se chocam com esse espaço vazio que fica após nos conectarmos e desconectarmos com alguém em instantes de uma mera noite.

As pessoas conseguem enganar a si mesmas mais do que aos outros. É mentira pensar que não se quer alguém fixo, é mentira dizer que se está solteiro, mas sozinho nunca. O simples fato de não conseguir conquistar ou ser conquistado, já torna a realidade dos relacionamentos um status sempre vago.

Sofri por muitos anos ao tentar entender essa globalização de envolvimentos com data de validade. Do lado de fora, um sorriso falso, uma tentativa de adaptação, do lado de dentro, uma lágrima, uma verdadeira frustração. Não havia fuga, não havia solução, tudo em volta era essa grande massa de sorrisos vazios, de corações gelados, de sentimentos escondidos (“Por causa da maldade crescente, o amor de muitos esfriará.” Mateus 24,12). Tudo e todos eram como máscaras, que tentam nos convencer de que se enquadrar é a melhor maneira de ser feliz. Jogos de conquista, um faz de conta eterno, uma realidade nunca conhecida, escape de corações já tão machucados por toda essa brincadeira, cartas jogadas na mesa era coisa de fracos, e digo tudo isso no passado, pois hoje sou livre dessa cadeia de corações dilacerados (“Fuja das paixões da mocidade e procure viver uma vida correta, com fé, amor e paz, junto com os que com um coração puro pedem a ajuda do Senhor.” 2 Timóteo 2:22).

Quer egoísmo? Continue nessa corrida onde nunca há vencedores. As pessoas se envolvem pensando na diversão, pensando no calor de um momento, fingem se importar umas com as outras quando na verdade ninguém se preocupa na real com a sensação, sentimento e expectativa do outro (“Em vez de adorarem ao Deus imortal, adoram ídolos. (...) Por isso Deus entregou os seres humanos aos desejos do coração deles para fazerem coisas sujas e para terem relações vergonhosas uns com os outros.” Romanos 1:23,24). Puro artifício essa história de que estar com alguém por uma noite, semanas ou meses é uma troca, se doa e se recebe afeto. No final das contas é cada um por si, depositam toda uma esperança em alguém como forma de preencher seus próprios vazios e desejos, e ao sugar tudo do outro ou ao pensar que não se pode sugar nada daquela fonte que parece esgotada, pula o galho, pula outro e assim por diante até desistir e se diagnosticar como um solitário nesta área ou até despertar para a realidade de que esperar plenitude das pessoas é como procurar água no deserto (“Quem beber desta água terá sede de novo, mas a pessoa que beber da água que eu lhe der nunca mais terá sede. Porque a água que eu lhe der se tornará nela uma fonte de água que dará vida eterna.” João 4:13,14). Os relacionamentos deste mundo são sim extremamente egoístas, ligações totalmente sem propósito e expectativa de futuro, sempre esperam receber mais do que estão dispostos a dar, não é uma troca e muito menos doação, é uma cobrança invisível, uma busca por entretenimento sem finalidade, se pensa mais na satisfação própria do que mútua, isso é egoísmo, aceitem ou não (“As coisas que a natureza humana produz são bem conhecidas. Elas são: a imoralidade sexual, a impureza, as ações indecentes, a adoração de ídolos, as feitiçarias, as inimizades, as brigas, as ciumeiras, os acessos de raiva, a ambição egoísta, a desunião, as divisões, as invejas, as bebedeiras, as farras e outras coisas parecidas com essas. Repito o que já disse: os que fazem essas coisas não receberão o Reino de Deus.” Gálatas 5:19-21).

Portanto, louvo a Deus pela liberdade que hoje tenho, se antes eu já me frustrava com essa triste verdade, imagina-se agora, livre de todas essas transgressões, de todas essas amarrações, um coração puro, lavado e renovado é o que Jesus me deu após eu reconhecer que só ELE é a única fonte inesgotável de amor, vida, felicidade, plenitude e vitória (“Pois a tristeza que é usada por Deus produz o arrependimento que leva à salvação; e nisso não há motivo para alguém ficar triste. Mas as tristezas deste mundo produzem a morte.” 2 Coríntios 7:10). Só ELE é o único caminho para a verdade e a vida eterna ("Respondeu-lhe Jesus, 'Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida; ninguém vem ao Pai senão por mim." João 14:6), o único disposto a morrer por você, a apagar seu pecados com seu próprio sangue, o único que faz prova de amor, que não só diz que ama como também prova que ama, o único que fala e cumpre, o único que te ama incondicionalmente independente se é recíproco ou não ("Aquele que tem o Filho tem a vida; aquele que não tem o Filho de Deus, não tem a vida" 1 João 5:12). Consegue imaginar isso? Creio que não, ninguém consegue, somos seres humanos incapazes de amar ao próximo ou até Ele mesmo como Ele nos ama, somos eternos devedores deste amor tão puro e constante.

Obrigada Senhor pela sua perfeição, pela sua fidelidade, pela oportunidade que me deste de poder hoje, olhar pra trás simplesmente para perceber o quanto ganhei ao Te conhecer, ao Te render toda a minha vida, derrame Tua imensa graça e Teu imenso amor nos corações que poderão ler isto, que a Tua misericórdia seja conhecida por muitas vidas que precisam sair dessa cadeia de relacionamentos vazios Pai. Traga de volta para os seus braços todos esses corações feridos que nem mesmo conseguem entender como a perversidade deste século os cegou e os machucou, mova Senhor, que todo joelho possa se dobrar e toda língua possa confessar que o Senhor é o Senhor dos Senhores, o Rei dos Reis, o ÚNICO E PERFEITO capaz de escrever uma nova história para cada um desses filhos teus que precisam de Ti. Em nome de Jesus, é o que eu te peço Pai. Te amo com tudo que sou, obrigada, eu não merecia nada. Amém Jesus!


video