sexta-feira, 29 de maio de 2009

Ainda não cheguei ao fim

Paralisei quando vi aqueles olhos. Olhos negros, brilhantes, mas por existir lágrimas neles. Olhos tristes, com uma profundeza assustadora, transmitiam pedido de ajuda, transmitiam imensas mensagens que deixariam qualquer outra pessoa que mergulhasse neles, também no mesmo estado. Olhos carregados de melancolia, cansados de derramar tristeza por todos os cantos, cansados de nunca conseguirem descansar, cansados de mirar um teto que nunca tem resposta para o que talvez eles procurem. Cansados de ver sorrisos e nunca sentir que também tem um pouco disso dentro da pessoa que os carregam. Cansados de viver dentro da escuridão, cansados de se sentirem no fundo de um poço sem resgate, cansados de serem os únicos a enxergar o mundo como um culpado por deixá-los assim. Olhos incansáveis de gritar socorro, incansáveis de enviar pedidos, incansáveis de nunca serem interpretados, incansáveis de serem julgados por tanta infelicidade que carregam. Incansáveis de tanta tortura que a angústia lhes causa, incansáveis de se sentirem injustiçados pela vida, incansáveis de culparem o destino, incansáveis de estarem só, incansáveis de ficar em uma eterna busca por uma salvação, incansáveis de levar a todos um pouco disso que eles vivem, incansáveis de quererem uma companhia que os entenda, incansáveis de esperar por um super-herói.
Só acordei de toda aquela viagem quando fixei novamente aqueles olhos e notei que as coisas sempre podem ficar piores do que pensamos.
Os olhos negros, profundos e totalmente tristes, eram aqueles em que eu via no espelho.
E foi aí que me lembrei de umas palavras que eu havia ouvido em um seriado que eu assisto (One Tree Hill). No final sempre tem uma moral, mas aquelas palavras, daquele episódio, tinham caído como uma luva pra mim nesse momento:
“Dê uma olhada em você no espelho. Quem você vê te olhando? É a pessoa que você quer ser? Ou é alguém que você queria ser? A pessoa que você deveria ser, mas acabou não sendo? É alguém dizendo a você que você não pode ou não quer? Porque você pode. Acredite que o amor está por aí. Acredite que sonhos se realizam todos os dias. Porque eles se realizam.”
Mas meus olhos só vão transmitir essa mensagem ao mundo quando finalmente destruir a tristeza que habita neles. Quando finalmente tiver vencido essa dura profundeza. Porque enquanto se está caindo, não tem o que fazer, a não ser aceitar, conscientizar e acreditar que no fim existe solução. Que no fim tudo melhora. No fim tudo dá certo.

3 comentários:

Mary West disse...

Sim, temos que acreditar que no fim do arco iris existe mesmo coisas bouas.

Isadora Ijano disse...

Caraca, One Tree Hill sempre lançando essas né? E eu NUNCA assisti, só vejo as frases que minhas amigas mandam, enfim, espero que a tristeza se apague do olhar.

Beeeeeeeijos!

Daniela Filipini disse...

Tudo passa, temos que acreditar que logo estaremos numa situação melhor e mais confortante (: