sexta-feira, 26 de junho de 2009

Guerreira sem armadura

Metade de mim foi deixada com você. Metades dos meus sonhos estão guardadas em uma caixinha rotulada com seu nome. A dúvida foi embora, mas a angústia não deixa de estar presente. Qualquer que fosse a solução, não deveria ter sido como esta. Abraço a mim mesma na esperança de juntar meus próprios pedaços e sentimentos e assim me manter mais completa, mas, é inútil. O que me falta não mais me pertence. Já não sei mais o que pedir as estrelas que um dia me observavam sorrir e hoje presenciam só lágrimas. Tudo parece mais frio, mais distante, mais inalcançável pros meus desejos. As lembranças me envolvem e me embalam como se quisessem me ninar por várias noites enquanto o sono me abandona. Tudo tem um pedacinho seu. Tudo me leva a você, mas, nunca pessoalmente. É incrível como tudo pode mudar em uma fração de momentos, semanas ou poucos meses. Se era pra ser assim, eu já não sei. Acho que passei a acreditar só na hipótese de que tudo nessa vida só acontece porque nós é que fazemos essas escolhas. Tudo era mais fácil de suportar quando podíamos jogar a culpa dos acontecimentos nas mãos de Deus ou do destino, mas, andei aprendendo com um alguém bem mais inocente do que eu, que Deus jamais castiga, jamais cria doenças ou tristezas. Tudo de ruim que há de existir hoje em dia são obras nossas. É de dar ódio de nós mesmos quando analisamos isso e percebemos que é a mais pura verdade. Porém, mesmo tendo consciência disto, não deixo a conformidade me pegar. Posso estar errada, posso estar me consumindo rápido dessa forma, mas, sempre me permiti sofrer tudo que eu tenho que sofrer por algo ou alguém. Sou assim, feita de emoções e sentimentos mais do que talvez carne e osso, e por ser assim, acabo entrando na onda de sorrisos ou lágrimas. Nunca escondi meus verdadeiros momentos e sentimentos sejam eles ruins ou bons. E como agora estou me permitindo chorar mais do que qualquer outra ação, vejo que estou em mais uma daquelas fases em que o tempo se torna meu melhor amigo, e assim, aos poucos, lentamente, descubro que sou mais forte do que penso, que sou mais guerreira do que qualquer pessoa que tenha tido a capacidade de me fazer cair. Guerreiros fortes não provam ser assim só porque ganham uma batalha, e sim porque vencem uma guerra inteira chamada, vida. Despedaçada ou não, eu sempre sigo meu caminho, por mais difícil que pareça, e ao final de cada passo vou me reconstruindo. Enfim, quando olho para trás, vejo uma história largada no passado, uma vitória a mais pra minha coleção e o mais importante, vejo que os pedaços que antes me faltavam e ali eu já não preciso mais, também estão me seguindo, pois, naquele momento, são eles é que precisam de mim. Ironia ou não, é sempre assim. Tudo que perco, demore ou não, sempre volta!

3 comentários:

Simplesmente Outono disse...

SIMPLESMENTE maravilhoso.
DOLOROSO, porém um texto extremamente verdadeiro a quem lê.
Sou intensa até mesmo em relação aos sentimentos sem que necessariamente sejam os melhores. Sofro tudo que permito, para assim como o Fênix sempre renascer das cinzas e ainda mais bela e forte.
Gostei!
Gostei muito!
Gostei demais!
Gostei tanto que será inevitável não voltar. Por que perder de vista algo tão gostoso de ser lido? Ficamos combinadas assim: volto sempre que puder para continuar lendo-te.
Folhas secas pelo teu chão.
Eu, Simplesmente Outono.

Carolzinha_ disse...

Oláááa,eu adooooooro os seus textos;toodos são lindos e verdadeiros (:
Muuitas vezes me identifico com as tuas palavras e isso é bom,porque assim recebo conselho de graça.
:)
.
Quero continuação da sua história ú.ú


Beeeeijo *_*

Mary West disse...

Adorey o texto. Forte, eloquente e profundo. :)