terça-feira, 21 de outubro de 2008

Nem tudo está perdido

Tem dias que tudo parece estar fora do lugar. O carinha lindo de ontem é um insuportável hoje, a amiga conselheira de ontem virou a crítica hoje, e assim segue as infinitas mutações. Por essas e outras, acabo decidindo virar “zen” e esquecer de tudo e todos, vivendo cada momento como se fosse o único. Já brinquei que viraria freira por tantas desilusões amorosas, já disse que me casaria com meu namorado da época e por fim descobri que nem ele e nem o amor durariam para isso, já quase quis revoltar com a vida, mas acho que essa parte de virar louca é a única coisa que não consigo fazer (graças a Deus).
Sofro antecipadamente, sofro pelo que ás vezes nem chega a acontecer, sofro por quem não merece, já sofri até por quem nem sabia direito da minha existência. Um dia todo mundo cansa de dar cabeçadas na parede. Creio que esse dia também chegou para mim. Ainda tenho oscilações e dúvidas, mas to cada vez mais certa das minhas últimas vontades e decisões. Única delas que ainda me abala, mesmo sendo raro, é a idéia de ficar só. Chega um ponto que não dá mais pra adiar com as vírgulas. Sofrer também cansa, esperar cansa, procurar cansa... Viver sem preocupar com esses tipos de coisa não cansa, pelo contrário, faz um bem danado. Mas ninguém é de ferro e chega uma hora que um colo faz falta. É aí que percebo como ainda tem gente que possa valer a pena, mesmo depois de toda a revolta e generalização.

2 comentários:

Paula Cappelletti disse...

Já brinquei que viraria freira por tantas desilusões amorosas [2]
UAHUAHAUAHAUAHUA
aahn, mas é a pura verdade né.
Sofrer cansa, e acho que por isso que a gente se cura mais rápido.
Acho que to cansando de sofrer também o/

e nãao preciisa agradeceer, li todos os seus textos lá no blog e amei e me identifiquei com vários, pra nao dizer quase todos :D
uahauhauahuahauahuahauahauhau
beeijo :*

Olhos Virtuais disse...

Viver tranquilamente sem se preocupar com essas coisas é o melhor.... e bola pra frente.

bjs