quinta-feira, 25 de setembro de 2008

Escolho você

Em meio a tantos rostos diferentes e estranhos, ainda assim, eu só conseguia enxergar um. Dentro de um local totalmente caloroso e receptivo, ainda assim, eu só conseguia pensar no meu cantinho. E com a chance de ser conquistada por várias pessoas, ainda assim, eu só queria uma única que já tinha ganhado meu coração.
Quanto mais penso, mais eu enlouqueço. Quanto mais enlouqueço, mais sei que te quero.
Não importa o que houve, não importa o que ainda haverá, o que me interessa é o que ainda é capaz de existir.
Coração acelerado, mãos geladas e suando, um nó na garganta, as pernas inquietas e os pensamentos em turbilhões... Não me restam dúvidas. Ainda há muito que se construir.
A certeza do ontem não me impede de sonhar pelo amanhã. O erro não me impede de querer um futuro acerto. Um aprendizado não me impede de talvez errar novamente lutando pelo que eu ainda acredito e quero. Estranho seria se eu não me sentisse apreensiva. Gosto de ter sangue quente. Gosto de ter a certeza de que sou uma humana muito mais sensível do que esses que já escolhem viver como desumanos. E é por me sentir com um frio na barriga que eu já me sinto corajosa. Afinal, o que a mente pensa e o coração acompanha, é porque é certeza de sucessos. O anseio não me impede de querer tentar mais uma vez. A angústia passada não me impede de querer ser feliz agora. Nada é igual, nunca! O que passou, passou. O que está por vir ainda depende de escolhas minhas e apenas, minhas.
Escolho ser feliz, do inicio ao fim. Escolho tentar, mesmo fracassando em pessoas e planos errados pra mim. Escolho viver, mesmo que pra isso eu tenha que caminhar sozinha por estradas que não terei apoio. Escolho lutar pelo que eu acredito que pode dar certo, mesmo que haja ainda pessimismo pra cima de mim. Eu escolho fazer as minhas escolhas, independente de todo o resto que me rodeia. Escolho quebrar a cara mais vezes pra aprender mais vezes. Escolho tropeçar nas pedras pra ficar mais atenta. Escolho amar, mesmo que eu ame sozinha. Escolho ser sincera, mesmo que não façam isso também por mim. Escolho ser eu mesma, por mais que ainda me julguem. Escolho ter a minha felicidade fora dos padrões, fora da vista de todos, fora das opiniões alheias e fora da inveja que tenta, mas não atinge. Escolho ter você, seja você uma amiga, uma irmã, uma mãe, um namorado, um primo, um bichinho de estimação. Escolho pelo que eu quero hoje sem pensar na escolha que terei que fazer amanhã.

3 comentários:

Marina disse...

Texto lindo... me identifiquei com altas partes dele... arrazou teté... lindao msm... Parabéns lindaaaaaa

Milena Gouvêa disse...

Teté, que texto lindo esse. Muito, muito sensível e profundo. Deu pra ver que você é dessas que se entregam intensamente, como eu. A gente sofre, mas também sente muito mais.

Virei mais vezes aqui. Muitos beijos :*

Luana disse...

nuuuuuuuuuuh.. e é lendo isso ai que eu quase morro de vontade de chorar... parece que tá flando de mim em mtas partes! hahha
Por mais insensivel que eu seja... vc sempre consegue mexer la no fundiiiinho!
haha
te amooooo amiga